CLINICA DE CIRURGIA PLASTICA EM SANTOS DRA ANA LUCIA LEMOS PROCEDIMENTOS ESTETICOS 11.07.21

Por que realizar procedimentos estéticos com um médico dermatologista ou cirurgião plástico?

Quando o aluno termina a graduação em Medicina e tem o registro junto ao CRM está pronto para entrar no mercado de trabalho. No entanto, ele só pode atuar como generalista. O Médico generalista é aquele que possui especialização em Clínica Geral ou em Saúde da Família. Ele está capacitado para realizar diagnósticos e indicar o paciente para cuidados comum especialista de uma área específica.

Já para trabalhar como especialista, é preciso que ele faça a Residência Médica, momento fundamental para aprimorar seus conhecimentos, um período de aprendizado prático sobre uma especialidade com a supervisão de um médico com alta qualificação da área.

É um curso de especialização para médicos, cujo regimento é determinado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), que conta com a participação de órgãos públicos e entidades de representação médica.

Para ingressar nesse programa, o médico precisa passar por um processo seletivo que é bastante concorrido. Depois de conquistar uma das vagas tão disputadas, o profissional passa a ter uma rotina intensa de trabalho no hospital. Isso porque a legislação que estabelece os principais pontos dessa formação a caracteriza como um treinamento em serviço em regime de dedicação exclusiva e prevê uma carga horária de até 60h semanais.

Como se vê, o médico acaba cumprindo um expediente de trabalho, com a diferença de realizar as atividades com a supervisão de outro médico. É, portanto, uma aprendizagem essencialmente prática em que o médico vai ver detalhes sobre técnicas e procedimentos de diagnósticos e tratamentos, sobre uso de equipamentos e terá a chance de lidar diretamente com os pacientes.

Como recebe o acompanhamento de um especialista, pode tirar todas as suas dúvidas, aprimorando ainda mais o conhecimento adquirido nos anos da graduação. A primeira vantagem é ter a oportunidade de vivenciar casos reais na especialidade que tem interesse em seguir, melhorando seus conhecimentos e adquirindo habilidades importantes para realizar um trabalho de qualidade.

Nesse sentido, é uma etapa vista como a melhor maneira de completar a formação médica, com o benefício de ter um treinamento com médicos de excelência de uma determinada especialidade.

Ao realizar os anos do programa de Residência Médica, o médico, ao final dessa pós-graduação, obtém o título de especialista de maneira imediata, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Dessa maneira, pode atender, realizar procedimentos e cirurgias legalmente nesse segmento sem ferir as normas do CRM assim que concluir essa fase de treinamento.

O que o profissional que realiza uma especialização na área de sua preferência médica, precisa passar por uma prova da Associação Médica Brasileira (AMB) e das Sociedades de Especialidades para ter o título de especialista. O período varia dependendo da especialidade escolhida, podendo durar de 2 a 5 anos.

O futuro do médico pode estar relacionado com a área da Residência Médica que ele vai seguir. Isso porque, além dos anos dedicados para esse aprendizado prático, para se destacar, é preciso se manter atualizado, ou seja, o profissional precisa ter um plano de carreira para se aperfeiçoar cada vez mais em sua especialidade.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
CLINICA DE CIRURGIA PLASTICA EM SANTOS DRA ANA LUCIA LEMOS TRATAMENTOS ASSOCIADOS .25.05.21

Tratamentos estéticos associados com a cirurgia plástica: é possível?

Os procedimentos estéticos são aliados da maioria das cirurgias plásticas, e podem até ajudar durante o processo de recuperação e manutenção da cirurgia plástica.

Apesar de ser impossível prever a duração dos resultados, os efeitos da cirurgia plástica são duráveis e é possível ter uma aparência melhor. Muitos consideram que uma cirurgia plástica bem executada propicia uma aparência rejuvenescida que corresponde de 5 a 10 anos a menos.

O que muitos não sabem é que antes e durante uma cirurgia plástica, a área a ser operada pode ser tratada visando oferecer ao cirurgião plástico maior facilidade para a utilização de sua técnica, com repercussão positiva sobre o resultado final.

Alguns tratamentos podem melhorar a aparência, circulação arterial e venosa e a oxigenação da pele, otimizando a cicatrização dos tecidos. Assim, pode ser possível diminuir a intensidade de sinais e sintomas que ocorrem sempre após qualquer tipo de cirurgia, como o inchaço, manchas roxas, fibrose e dor.

As cirurgias plásticas podem ser associadas com tratamentos no rosto, que visam atenuar os sinais de envelhecimento causados pelo efeito do tempo, gravidade, exposição solar e estresse do cotidiano.

Estas alterações ocorrem de maneira lenta e progressiva, incluindo todos os componentes da estrutura facial, vários sinais característicos como acentuação das rugas na testa, queda das sobrancelhas, excessos de pele e rugas ao redor dos olhos, podem ser tratados com a paciente anestesiada para uma cirurgia plástica.

É de extrema importância se informar com o seu cirurgião plástico antes de realizar qualquer tratamento estético durante a sua cirurgia plástica. Seguir as orientações é fundamental para que, tanto os tratamentos estéticos, quanto a cirurgia plástica conquistem os melhores resultados possíveis.

Portanto, pense cuidadosamente sobre as suas expectativas antes da cirurgia plástica e converse com o cirurgião plástico sobre os tratamentos estéticos, sobre o pré-operatório e o pós-operatório, para que não restem dúvidas.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Últimos Post´s

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

CLINICA DE CIRURGIA PLASTICA EM SANTOS DRA ANA LUCIA LEMOS CENTRO CIRURGICO CUIDADOS 25.04.21

Centro Cirúrgico: cuidados na hora de escolher o loca

O sonho do corpo perfeito pode se tornar um transtorno caso o paciente não tome os devidos cuidados na escolha do médico e do local onde será realizado a cirurgia plástica.

O diferencial da cirurgia plástica está diretamente ligado em realizar em um ambiente seguro, dentro de um centro cirúrgico e nunca na clínica do médico. Um centro cirúrgico tem maior respaldo com uma equipe de especialistas.

No centro cirúrgico, em caso de uma intercorrência no ato cirúrgico, o médico tem a sua disposição aparelhos para segurança do paciente.

O paciente deve pesquisar para saber se o cirurgião plástico é reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, se o centro cirúrgico possui dispositivos de segurança para todos os casos e, por fim, para que não se atente apenas para o valor cobrado pelos serviços.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Últimos Post´s

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

CLINICA DE CIRURGIA PLASTICA EM SANTOS DRA ANA LUCI ELMOS 25.03.21 CANCER DE PELE

Câncer de pele: sintomas e como identificar.

Câncer de pele é causado principalmente pela exposição excessiva ao sol. Este tipo de câncer ocorre pelo crescimento anormal das células que compõem a pele e são classificados em dois tipos: câncer de pele melanoma e câncer de pele não melanoma.

Ele pode aparecer em qualquer parte do corpo, na pele ou mucosas, na forma de manchas, pintas ou sinais. Em pessoas de pele negra, é mais comum nas áreas claras, como palmas das mãos e plantas dos pés.

Também vale lembrar que o câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos.
É considerado raro em crianças e pessoas negras e tem alta chance de cura, desde que seja detectado e tratado precocemente.

Apesar desse índice, a média da idade vem diminuindo com o passar dos anos, tendo em vista que pessoas jovens têm se exposto constantemente aos raios solares sem a proteção necessária.

Um dos fatores principais de risco para se desenvolver câncer de pele é a exposição prolongada ao sol. Ocorre principalmente nas áreas do corpo que são mais expostas ao sol, como rosto, pescoço e orelhas, mas também pode surgir na região íntima.

Examinar sua pele periodicamente é uma maneira simples e fácil de detectar precocemente o câncer de pele. Com a ajuda de um espelho, você pode enxergar áreas que raramente consegue visualizar.

Os principais sintomas são: manchas que coçam, descamativas ou que sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor.

Se você observar qualquer novo sinal na pele ou mudança em uma pinta ou mancha que já existia deve servir de alerta para procurar um dermatologista.

Fique atento:
– Evolução: se a mancha tiver mudanças de cor, tamanho ou forma;
– Diâmetro: veja se a pinta ou mancha está crescendo progressivamente;
– Cor: verifique se há várias cores misturadas em uma mesma pinta ou mancha;
– Bordas irregulares: verifique se a borda está irregular, serrilhada, não uniforme;
– Assimetria: verifique se os dois lados de uma pinta são iguais. Se apresentarem diferenças deve ser investigado.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Últimos Post´s

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

clinica de cirurgia plastica em santos dra ana lucia lemos pre operatorio 08.01.21

A importância da avaliação pré-operatória na cirurgia plástica.

Um dos pontos mais importantes para o sucesso e para a segurança de uma cirurgia plástica são os exames realizados antes do processo cirúrgico e os cuidados relacionados ao paciente, tudo com o objetivo de garantir a melhor condição de sua saúde para o momento em que ele passar pela intervenção.

A principal diferença entre uma cirurgia de emergência, urgência ou cirurgia plástica é a possibilidade de se escolher o momento em que ela irá ocorrer. Ou seja, em cirurgias plásticas, o paciente tem a opção não apenas de determinar o agendamento, como também de planejar o momento em que ocorrerá, com que equipe e local.

Assim sendo, as cirurgias plásticas permitem que o paciente apenas se submeta ao procedimento quando estiver em suas melhores condições de saúde e após avaliações e exames pré-determinados para garantir que tudo irá ocorrer bem.

A avaliação pré-operatória é fundamental para a segurança e para o sucesso da cirurgia plástica e, sem ela, não é recomendada a realização da intervenção. Seu principal objetivo é avaliar o benefício da cirurgia para o paciente e é constituída, basicamente, por três fatores: avaliação da história clínica do paciente, exames físicos e exames complementares.

Os exames necessários diferenciam de acordo com a cirurgia plástica e seu tipo, além dos principais como: hemograma completo, eletrocardiograma, coagulograma, eco e teste ergométrico. Os outros tipos a serem realizados serão determinados de acordo com o quadro e intervenção.

A avaliação pré-operatória busca determinar se há um nível baixo, médio ou alto de riscos de complicações durante a cirurgia plástica, principalmente devido a problemas cardíacos. É importante ressaltar que a avaliação não exclui a possibilidade de complicações, por isso a importância dos cuidados, mas é fundamental para determinar se a cirurgia plástica, além de possível, será benéfica ao paciente ou não.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

clinica-de-cirurgia-plastica-em-santos dra ana lucia lemos diploma 05.01.21

Como o médico se torna um cirurgião plástico?

Para que um médico se torne um especialista na realização de cirurgias plásticas, ele deve percorrer um longo caminho, que exige tempo e dedicação aos estudos. Mesmo depois de formado no curso de Medicina, o profissional precisa fazer residência durante mais cinco anos. Só então ele será considerado um cirurgião plástico.

Nos dois primeiros anos de residência médica, o profissional conquista o título de cirurgião geral. Neste período que ele passa a ter intimidade com os procedimentos cirúrgicos diversos, mesmo aqueles que não estão relacionados a essa especialidade.

Porém, para ser considerado cirurgião plástico, ele ainda precisa estudar mais três anos, fazendo residência em cirurgia plástica em uma das escolas credenciadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), único órgão oficial reconhecido pelo Conselho Regional de Medicina (CRM).

Nesta fase, além de estudar e aprender técnicas específicas, ele é orientado por um associado-titular da sociedade. Além do conhecimento teórico, ele auxiliará em cirurgias, observando como o titular aplica as técnicas e desenvolvendo suas habilidades sob supervisão.

Então, como você pode ver, até aqui foram 11 anos de investimento em conhecimento. O próximo passo é realizar um exame para ingressar na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Se aprovado, terá o título de especialista homologado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e será considerado membro associado da SBCP.

Existem vários graus para serem atingidos na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Assim, para alcançar o mais alto deles, o de membro titular, o cirurgião precisará trabalhar mais dois anos na área, de preferência com algum cirurgião de renome. Ao final desse período, ele ainda deve apresentar seu currículo e um trabalho científico. Estes serão avaliados por uma comissão designada pela SBCP.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é muito criteriosa para admitir associados e membros-titulares. Por isso, a certificação e o credenciamento junto à SBCP são fundamentais para garantir que o médico pode realizar seu procedimento com segurança e é capacitado para obter o melhor resultado possível.

Mas se você não sabe se um médico é certificado ou não pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, não se preocupe! A consulta é muito fácil. Basta clicar no site da SBCP (www.cirurgiaplastica.org.br), digitar o nome e verificar se o perfil dele aparece nos resultados da busca.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

CLINICA-DE-CIRURGIA-PLASTICA-EM-SANTOS DRA ANA LUCIA LEMOS -VARIAS-CIRURGIAS-PLASTICAS-NO-MESMO-DIA-PRE-OPERATORIO-16.11.20

Tempo cirúrgico, obesidade, tabagismo e uso de hormônios, estão entre os principais fatores de risco para uma cirurgia plástica.

Cirurgias plásticas demasiadamente longas na duração ou que fazem intervenções em uma área muito extensa do corpo podem colocar em risco a saúde do paciente. É importante avaliar os indicadores de tempo da anestesia, da operação e da permanência do paciente em sala cirúrgica.

Alguns pacientes que querem fazer cirurgia plástica, são recomendados a fazer uma dieta para estar em um peso ideal, além de parar de fumar também. A obesidade e tabagismo estão entre os principais fatores de risco para uma cirurgia plástica.

Em obesos, por exemplo, quanto maior o grau da obesidade, maior é o risco, pois envolve o sistema respiratório e cardiovascular. A intubação em uma pessoa obesa também é complicada e o risco de uma infecção é maior.

Já para fumantes, além de todo o processo respiratório, igualmente para os obesos, a cicatrização é mais demorada. Outro fator é que a nicotina atrapalha na oxigenação do sangue e impede que haja a circulação do oxigênio. Com isso, as chances de infecção são grandes.

As doses elevadas de hormônio podem favorecer a formação de coágulo sanguíneo e, consequentemente, trombose na hora da cirurgia plástica. O mais comum é que o cirurgião plástico oriente a suspender o uso do anticoncepcional ou reposição hormonal, pelo menos, trinta dias antes da cirurgia plástica.

Clínica de Cirurgia Plástica e Estética em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

clinica-de-cirurgia-plastica-dra-ana-lucia-lemos-cirurgia-plastica-segura-com-covid-19

Cirurgia plástica segura em época de Covid-19

Estamos em um momento da história nunca vivido anteriormente devido a Pandemia do Covid-19, a Cirurgia Plástica é baseada em dois pilares: Estética e Reparadora.

Muitas cirurgias não podem parar, independente do momento que estamos vivendo, já a cirurgia plástica é uma cirurgia eletiva, com objetivo estético e melhorar a autoestima, alguns protocolos de segurança para paciente e equipe médica foram criados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

As consultórios e hospitais seguem orientações do uso de máscara, distanciamento físico, disponibilização de álcool gel, consultas agendadas com horários pré-definidos, diminuindo assim os riscos de contaminação.

No pré-operatório além dos exames de rotina é acrescentado Teste do Covid-19. Após uma minuciosa avaliação será decidido pelo cirurgião plástico se a paciente poderá ou não fazer a cirurgia plástica. Os pacientes que se enquadram no grupo de risco estão sendo orientados a não operar neste momento.

No pós-operatório é recomendado que a paciente entre em quarentena domiciliar, sem receber visitas de amigos ou parentes. As drenagens linfáticas e trocas de curativos são feitas seguindo protocolo de segurança específico para prevenção.

Muito importante que sempre procure um médico especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Clínica de Cirurgia Plástica e Estética em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

CLINICA DE CIRURGIA PLASTICA EM SANTOS Cirurgia plástica de correção de cicatriz melhora a aparência destas marcas.

Cirurgia plástica de correção de cicatriz melhora a aparência destas marcas.

Cirurgia de correção de cicatriz é o tipo de cirurgia plástica que tenta melhorar a aparência de uma cicatriz. Em geral, no entanto, é muito difícil as cicatrizes desaparecerem por completo mesmo com tratamento.

Esta cirurgia plástica deve ser feita por um cirurgião plástico capacitado. A cirurgia plástica de correção de cicatriz é indicado para cicatrizes alargadas ou com o aspecto indesejável.

Pacientes com dificuldade para cicatrização, infecção ativa na área da cicatriz, uso crônico de corticoides e doenças do tecido conjuntivo são contraindicados para a cirurgia plástica de correção de cicatriz.

A remoção cirúrgica da cicatriz é feita por meio de incisões em toda a extensão da mesma. Dependendo do caso, a incisão é feita aproximadamente um milímetro dentro da cicatriz e em outras situações aproximadamente um milímetro fora da cicatriz.

Após realizar as incisões, o cirurgião plástico retira toda a cicatriz utilizando bisturi. Não se costuma aprofundar a retirada da cicatriz além do tecido gorduroso da pele, pois geralmente só se retira toda a fibrose e tecido cicatricial propriamente dito.

Realizam-se pontos internos absorvíveis e a parte externa pode ser feita com pontos intra-dérmicos (que ficam completamente escondidos dentro da incisão) ou pontos simples. Pode-se optar por fechar a incisão também com o uso de uma fita biológica com cola, que sela a incisão completamente. Isso permite que o paciente já possa tomar banho e molhar a região operada no mesmo dia.

A duração da cirurgia plástica de correção de cicatriz depende do tamanho da cicatriz. Durante toda a recuperação, deve-se acompanhar com seu cirurgião plástico para monitorar e orientar cuidados pós-operatórios. Além disso, mesmo após a cirurgia plástica pode ser preciso usar pomadas, cremes ou mesmo compressão local, de acordo com a orientação do cirurgião plástico.

O resultado final aparece após um ano, mas com dois a três meses já se observa grande melhora. Por muitos meses a cicatriz fica avermelhada e isso é normal. No entanto, é possível esperar uma melhora na aparência da cicatriz, mas nem sempre ocorrerá a remoção completa dela.

Clínica de Cirurgia Plástica e Estética em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

clinica de cirurgia plastica em santos dra. ana lucia lemos pre operatorio de cirurgia plastica

Pré-Operatório de Cirurgia Plástica

Condições clínicas como pressão alta, diabetes e doenças crônicas não impedem a cirurgia plástica, desde que estejam controladas.

Algumas condições pré-existentes aumentam consideravelmente o risco de complicações durante e após a cirurgia plástica, e devem ser analisadas cautelosamente para evitar problemas.

Pessoas diabéticas podem fazer cirurgias plásticas somente se os seus níveis de glicose estiverem rigorosamente controlados. O endocrinologista deve ser informado do desejo do paciente em realizar a cirurgia plástica e verificar o melhor momento para liberá-lo para a cirurgia plástica.

O cirurgião plástico deve ser informado, minuciosamente, sobre o andamento da doença e acompanhar os exames e seu controle, para poder analisar como será feita a cirurgia plástica.
É importante lembrar que o pós-operatório requer cuidados especiais, sobretudo com relação à cicatrização lenta.

O grande problema das doenças cardiovasculares está que, um grave problema no coração pode causar parada cardíaca e até mesmo levar à morte, mesmo em procedimentos mais simples. Portanto, qualquer distúrbios deve ser bem investigado e analisado pelo médico para definir suas possíveis interferências na cirurgia plástica: arritmias cardíacas, hipertensão, cardiomiopatias, pericardite, disfunção da aorta, insuficiente cardíaca descompensada, doença arterial coronariana e doença das válvulas cardíacas.

Qualquer tipo de infecção, mesmo que simples, como: sinusite, infecção na garganta, infecção urinária, resfriados ou gripes, podem agravar quadros de saúde. Ao realizar um cirurgia plástica, estes agentes podem debilitar ainda mais o paciente. Por isso, o cirurgião plástico deve ser sempre avisado de sintomas relacionados com infecções próximo da cirurgia plástica, como: febre, dores, vermelhidão. Geralmente a cirurgia plástica não é impedida, mas poderá ser adiada.

Clínica de Cirurgia Plástica e Estética em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos