Quando o aluno termina a graduação em Medicina e tem o registro junto ao CRM está pronto para entrar no mercado de trabalho. No entanto, ele só pode atuar como generalista. O Médico generalista é aquele que possui especialização em Clínica Geral ou em Saúde da Família. Ele está capacitado para realizar diagnósticos e indicar o paciente para cuidados comum especialista de uma área específica.

Já para trabalhar como especialista, é preciso que ele faça a Residência Médica, momento fundamental para aprimorar seus conhecimentos, um período de aprendizado prático sobre uma especialidade com a supervisão de um médico com alta qualificação da área.

É um curso de especialização para médicos, cujo regimento é determinado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), que conta com a participação de órgãos públicos e entidades de representação médica.

Para ingressar nesse programa, o médico precisa passar por um processo seletivo que é bastante concorrido. Depois de conquistar uma das vagas tão disputadas, o profissional passa a ter uma rotina intensa de trabalho no hospital. Isso porque a legislação que estabelece os principais pontos dessa formação a caracteriza como um treinamento em serviço em regime de dedicação exclusiva e prevê uma carga horária de até 60h semanais.

Como se vê, o médico acaba cumprindo um expediente de trabalho, com a diferença de realizar as atividades com a supervisão de outro médico. É, portanto, uma aprendizagem essencialmente prática em que o médico vai ver detalhes sobre técnicas e procedimentos de diagnósticos e tratamentos, sobre uso de equipamentos e terá a chance de lidar diretamente com os pacientes.

Como recebe o acompanhamento de um especialista, pode tirar todas as suas dúvidas, aprimorando ainda mais o conhecimento adquirido nos anos da graduação. A primeira vantagem é ter a oportunidade de vivenciar casos reais na especialidade que tem interesse em seguir, melhorando seus conhecimentos e adquirindo habilidades importantes para realizar um trabalho de qualidade.

Nesse sentido, é uma etapa vista como a melhor maneira de completar a formação médica, com o benefício de ter um treinamento com médicos de excelência de uma determinada especialidade.

Ao realizar os anos do programa de Residência Médica, o médico, ao final dessa pós-graduação, obtém o título de especialista de maneira imediata, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Dessa maneira, pode atender, realizar procedimentos e cirurgias legalmente nesse segmento sem ferir as normas do CRM assim que concluir essa fase de treinamento.

O que o profissional que realiza uma especialização na área de sua preferência médica, precisa passar por uma prova da Associação Médica Brasileira (AMB) e das Sociedades de Especialidades para ter o título de especialista. O período varia dependendo da especialidade escolhida, podendo durar de 2 a 5 anos.

O futuro do médico pode estar relacionado com a área da Residência Médica que ele vai seguir. Isso porque, além dos anos dedicados para esse aprendizado prático, para se destacar, é preciso se manter atualizado, ou seja, o profissional precisa ter um plano de carreira para se aperfeiçoar cada vez mais em sua especialidade.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Shopping Basket