A otoplastia é o termo usado para a cirurgia plástica nas orelhas, indicada para pessoas com orelhas proeminentes (de abano). Elas são classificadas de acordo com o grau de angulação de alterações anatômicas da orelha, entre leve, moderado e grave, e a cirurgia plástica pode ser realizada em qualquer grau, dependendo do quanto essa condição incomoda o paciente.

Orelhas de abano ou com outra malformação pode provocar episódio bullying, prejudicando a autoestima de crianças e adultos. Geralmente, o bullying começa a acontecer ainda na pré-escola e pode atrapalhar até o rendimento escolar da criança.

Como na idade pré-escolar o crescimento das orelhas chega a quase 100% do tamanho final, a otoplastia pode ser realizada a partir dos sete anos. O cirurgião plástico saberá dizer, depois de examinar as estruturas das orelhas, se a criança pode se submeter ao procedimento ou se precisa esperar mais um pouco para que o crescimento das orelhas e estabilize.

Normalmente, a otoplastia é realizada com o paciente sedado e com anestesia local, e tem duração média de uma hora. O procedimento é realizado por uma incisão atrás da orelha, seguindo a dobra natural da pele. Através desse pequeno corte, é feita a retirada do excesso de pele e o ligamento da cartilagem, para que fique mais flexível.

Dependendo do caso, pode ser necessária a retirada de parte da cartilagem, para diminuir o tamanho da orelha. A cirurgia plástica é finalizada com pontos de fixação (geralmente, internos e absorvíveis). Os pontos têm a função de manter a nova anatomia da orelha e de fechar o corte.

Costuma-se cobrir a incisão com curativos feitos com pomada cicatrizante e gaze. O curativo deve ser retirado no consultório pelo cirurgião plástico entre 24 e 48 horas após a cirurgia plástica. Caso seja necessário, o cirurgião plástico pode recomendar ao paciente ou responsável, a manutenção do curativo.

Nos casos de correção de orelha de abano, o paciente deverá usar uma faixa de tecido compressiva específica por um mês. A faixa deve ser retirada apenas para o banho.

As queixas de dor no pós-operatório da otoplastia são raras. Caso ocorra, o médico deve ser avisado. Normalmente, a dor passa com o uso de analgésico prescrito pelo cirurgião plástico.
É recomendado aguardar uma semana para a criança voltar à escola. Já os adultos podem voltar às atividades dois dias após a cirurgia plástica, sempre com o cuidado de proteger o local operado. O uso de óculos pode ser feito por cima do curativo, desde que a haste não aperte de mais a região.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Últimos Post´s

Fique por dentro!

Inscreva-se para receber nosso informativo

Dra. Ana Lúcia Lemos, CRM-SP 85517 / RQE 18555.
Médica cirurgiã plástica, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos há mais de 20 anos e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Shopping Basket