São necessárias, em média, dez sessões para que a espessura e a quantidade dos fios fiquem menor. Apesar da estimativa, o número de sessões varia de pessoa para pessoa e depende de vários fatores, tais como espessura dos pelos, número de fios, fases do ciclo capilar e condições de saúde.

Podem ser necessários mais encontros para pacientes que têm patologias que aumentam a quantidade de testosterona, hormônio que promove crescimento dos pelos. Antes de iniciar o processo, o paciente deve responder um questionário que informa quais remédios pode estar usando, uma vez que existem medicamentos que são fotossensibilizantes e, por este motivo, aumentam o risco de queimaduras.

O paciente deve se preocupar no sentido de manter os pelos curtos com métodos que não destruam o bulo pilar, por que este é o que garante a eficácia do procedimento. Esses métodos são: lâmina de barbear, máquina ou creme depilatório. Pode ser requisitado aparar os pelos de três a cinco dias antes da sessão.

Após a fotodepilação a pessoa deve evitar tomar sol durante todo o processo, em especial nos 30 dias posteriores à sessão, uma vez que a pele bronzeada apresenta maior chance de queimaduras. Além disso, é indicado o uso de protetor solar com fator mínimo 30. Quem tem pele sensível pode usar algum creme calmante prescrito pelo profissional responsável para aliviar e evitar a irritação na pele.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Shopping Basket