O uso dos fios de sustentação em tratamentos de estética facial e corporal ganhou força nos últimos anos. Na busca por procedimentos mais seguros que sustentem o tecido facial flácido e que, ao mesmo tempo, provoquem efeitos colaterais limitados, surgiu o uso dos fios de sustentação absorvíveis.

É importante ressaltar que tais fios não foram desenvolvidos para substituir ou competir com a ritidoplastia (lifting facial), eles complementam a cirurgia plástica ou a substituem somente nos casos em que a intervenção cirúrgica fica impossibilitada pelo estado de saúde geral do paciente.

A polidioxanona (PDO) é uma substância sintética e biodegradável, usada há mais de duas décadas em forma de fios de suturas por cirurgiões urologistas, gastroenterologistas e oftalmologistas, e atualmente é empregada como material para fios de sustentação facial reabsorvíveis.

O fio PDO polifilamentado, além de provocar formação de tecido cicatricial, imobiliza suavemente os finos músculos envolvidos no aparecimento de rugas, através da própria tração física, principalmente na região ao redor dos olhos, os populares “pés de galinha”.

Entretanto, há que se ter cuidado com o plano correto de inserção dos fios de PDO, se inserido inadequadamente não lhe dará qualquer apoio ou sustentação. Ou seja, não fará o efeito, prejudicando mais ainda a região e comprometendo o objetivo inicial do tratamento.

O tratamento deve ser feito por um médico dermatologista ou cirurgião plástico e consiste em inserir múltiplas agulhas terapêuticas com o fio de PDO absorvível na região da face.

Provoca uma reação inflamatória tecidual limitada e estimula a produção de colágeno. A paciente tem um efeito não cirúrgico de redução de flacidez da pele facial.

O tratamento promove a redução quase que imediata das rugas finas, entre 10 e 15 dias após a inserção dos fios, aproximadamente. A duração do efeito benéfico, após a inserção do fio, é estimada entre 18 e 24 meses.

É aplicado em ambiente ambulatorial (consultório). A aplicação de fios de PDO absorvíveis pode ser complementada por procedimentos estéticos, como: toxina botulínica ou ácido hialurônico e até luz intensa pulsada.

Existe uma vantagem ao promover a aplicação de toxina botulínica antes da inserção dos fios. O colágeno que se forma durante o tempo de relaxamento muscular fica mais uniforme e mais homogêneo. Um procedimento complementa o outro. Preenchimentos podem ser aplicados entre três e cinco semanas depois da inserção dos fios.

Dra. Ana Lúcia Lemos | Cirurgiã Plástica CRM 85.517
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 18.555

Clínica de Cirurgia Plástica em Santos
(13) 99790.2280 | (13) 3271.7065 | (13) 3231.5184
Segunda a Sexta 8 às 20 horas | Sábados 8 às 13 horas
Rua Almirante Cochrane, 137 | Embaré | Santos

Gostou desse Post?

Comente

Compartilhe

Comente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Shopping Basket